Governo do Estado do Rio Grande do Sul
Início do conteúdo

#PODPelaVida: jovem pede dinheiro de aniversário para comprar cestas básicas

Atitude de Filipe Macedo Fraga surpreendeu familiares e beneficiou moradores do bairro Rubem Berta

Publicação:

Filipe sentado em frente das cestas básicas
Filipe feliz em poder ajudar famílias do bairro onde mora - Foto: Maurício Tonetto
Por Secom | Maurício Tonetto e Bruno Pacheco

Para comemorar os 12 anos de idade, o jovem Filipe Macedo Fraga pediu dinheiro a familiares e amigos, sem revelar o motivo. Os quase R$ 600,00 obtidos pelo garoto poderiam servir para comprar roupas novas, jogos de videogame, uma bicicleta ou quem sabe um instrumento musical. Mas a atitude de Filipe surpreendeu: o dinheiro era para cestas básicas destinadas a pessoas carentes do bairro Rubem Berta, na Zona Norte de Porto Alegre, onde ele reside.

A iniciativa de Filipe só foi revelada quando ele pediu ajuda para a mãe, Luciane Macedo, 36 anos, para comprar as cestas. Ele escolheu o Centro da Juventude (CJ) Rubem Berta para a entrega. No local, centenas de jovens carentes são atendidos pelo Programa de Oportunidades e Direitos (POD), uma política pública que funciona com investimento do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) e da Secretaria de Justiça, Cidadania e Direitos Humanos do Rio Grande do Sul.

No CJ, os meninos e as meninas têm cursos profissionalizantes, oficinas de empreendedorismo, aulas de dança, teatro, música e poesia, e fortalecimento de vínculos para uma cultura de paz. Atualmente, seis CJs funcionam na Região Metropolitana: quatro em Porto Alegre (Cruzeiro, Restinga, Lomba do Pinheiro e Rubem Berta), um em Alvorada e outro em Viamão. Com a pandemia da Covid-19, os CJs tornaram-se referências de solidariedade e engajamento nas comunidades, com ampla participação dos jovens do POD.

Filipe entrega cestas básicas para famílias do bairro Rubem Berta
Filipe entrega cestas básicas para famílias do bairro Rubem Berta - Foto: Maurício Tonetto

- Eu via pessoas com muito dinheiro fazendo caridade quando aconteciam coisas ruins, como terremotos. Eu pensei em fazer algo parecido aqui. Achei que ia conseguir menos dinheiro, deu mais do que eu esperava – comemora Filipe.

As 12 cestas adquiridas por ele, apesar de representarem uma quantia pequena, comoveram quem está na linha de frente do trabalho solidário no CJ Rubem Berta. O movimento espontâneo dele serviu para aumentar o ânimo da comunidade nesse momento difícil da pandemia.

- A atitude dele foi de grandeza. Com apenas 12 anos, entende o que estamos passando e conhece a importância da solidariedade. Quantas crianças de 12 anos, se recebessem dinheiro, gastariam com outras coisas? – diz Natalia Kelm, educadora de Esporte e Ginástica do CJ Rubem Berta.

Filipe, sentado ao centro na foto, com a mãe, Luciane (à esquerda), e com a educadora do CJ Rubem Berta, Natalia.
Filipe na foto com a mãe, Luciane (à esquerda) e com a educadora do CJ Rubem Berta, Natalia - Foto: Maurício Tonetto

Brinquedos para o Natal

Filipe entregou em mãos as cestas básicas para o Centro da Juventude Rubem Berta no último sábado (18). Ele ajudou a montar os kits, carregá-los no veículo da família e transportá-los até o local. Entusiasmado, já pensa em uma nova ação para o Natal, com a compra de brinquedos para crianças carentes. A meta é ganhar mais do que R$ 600.

- Estou realmente orgulhosa da atitude dele, que muitos adultos não teriam. É surpreendente que parta de uma criança. Para o Natal, vamos ajudar para que tenha ainda mais sucesso – afirma Luciane Macedo.

Luciane, ao lado da filha mais nova, Manuela, e do Filipe, orgulhosa da ação generosa do filho.
Luciane, ao lado da filha mais nova, Manuela, e do Filipe, orgulhosa da ação generosa do filho - Foto: Maurício Tonetto

De acordo com o secretário de Justiça, Cidadania e Direitos Humanos do Estado, Mauro Hauschild, a presença ativa dos CJs nas comunidades estimula atos como o do garoto Filipe. Por isso, ele reforça que a campanha #PODPelaVida, que entrou na segunda fase no mês de julho, ainda contribuirá muito para diminuir os impactos sociais da Covid-19.

- Desde o início da pandemia, os jovens do POD fazem sabão, máscaras e kits de higiene, arrecadam cestas básicas e orientam familiares com informações corretas. Esse ambiente criado nos CJs é cidadania pura. Queremos atrair mais pessoas solidárias como o garoto Filipe. Estamos de portas abertas – salienta o secretário Mauro Hauschild.

POD