Governo do Estado do Rio Grande do Sul
Início do conteúdo

Jovens multiplicadores se destacam em programa de empreendedorismo social com projetos para mães solo

Publicação:

Giovanni, Renata, Thainá Eduarda e José Otávio, quatro dos cinco criadores do Ártemis Workplace
Giovanni, Renata, Thainá Eduarda e José Otávio, quatro dos cinco criadores do Ártemis Workplace - Foto: Alessandro Sasso

Dois grupos formados por participantes do Programa de Oportunidades e Direitos (POD) foram selecionados para etapa final do DUXtec, projeto de fomento ao empreendedorismo de impacto socioambiental para moradores de zonas periféricas. Ambos passaram pela primeira fase, entre mais de 200 participantes, e agora estão entre as 10 ideias selecionadas para a parte prática da iniciativa, com propostas que buscam atender mães solos de baixa renda.

Um das equipes, formada por quatro jovens do Centro da Juventude (CJ) da Lomba do Pinheiro, criou o projeto Feira da Lomba, que pretende desenvolver um aplicativo de entregas de produtos de agricultura familiar local. “Nossa intenção é facilitar, na questão financeira e logística, o acesso de mães chefes de família a alimentos naturais, valorizando também a produção do nosso bairro e arredores. Às vezes, por exemplo, ficamos semanas sem comer frutas, porque precisamos priorizar outros itens do orçamento mensal de nossas casas”, afirma Hellen Cristiny Fonseca, de 19 anos.

Mesmo já compreendendo a realidade das famílias da região, para garantir a efetividade do projeto, foram realizadas pesquisas com a comunidade. “Nossa primeira intenção era reunir os produtores em feiras presenciais, mas percebemos que um dos problemas da maternidade solo é justamente a falta de tempo”, diz Maria Eduarda Medeiros, de 16 anos. Ela conta que, apesar de acreditarem na vontade das mães em oferecer alimentação saudável em casa, era preciso confirmar a tese. “Ficou claro que, na maioria dos casos, elas acabam optando por alimentos industrializados e ultraprocessados por serem mais baratos e práticos de consumir, e não exatamente por ser a primeira opção”, acrescenta.

Melissa, Maria Eduarda e Hellen, três das quatro idealizadoras do "Feira da Lomba"
Melissa, Maria Eduarda e Hellen, três das quatro idealizadoras do "Feira da Lomba" - Foto: Alessandro Sasso

A logística e a falta de tempo também são bases da ideia do outro grupo que está na etapa final do DUXtec, composto por cinco jovens do CJ Rubem Berta, que criou o Ártemis Workplace, projeto que pretende divulgar empreendimentos de mães solo e também promover capacitações. “Inicialmente pensamos em criar uma espécie de recursos humanos para buscarmos vagas de emprego para elas, mas, pesquisando, entendemos que o mercado de trabalho ainda é inflexível para isso”, explica José Otávio Marques, de 19 anos. Outra questão identificada nos estudos foi a preferência por empreender. “Com negócios próprios elas podem ter mais liberdade de horários ou até mesmo trabalhar em casa, o que as deixa mais próximas de seus filhos”, completa Renata Coutinho, de 17 anos.

A partir desses pilares, o grupo pretende colocar no ar uma plataforma online que divulgue o trabalho de mães que são inteiramente responsáveis pela criação dos filhos. “Sempre que alguém necessitar de algum serviço ou produto, vai poder entrar em nosso site e procurar o que precisa. Dessa forma, a pessoa vai ter acesso a listas com informações de mães solo que oferecem o se está buscando”, afirma Giovanni Chagas Júnior, de 19 anos. Além disso, no futuro a intenção é poder oferecer uma sessão acadêmica para que mais delas possam se capacitar e também empreender.

Os projetos contemplam um dos três eixos temáticos propostos pelo cronograma do DUXtec, o de Tecnologias e Mulheres no Mercado de Trabalho, e foram apresentados no encerramento da primeira fase, em 3 de setembro, no auditório do Tecnopuc, em Porto Alegre. “Ficamos muito felizes de sermos selecionadas. Constatamos que os aplicativos de delivery mais populares são uma realidade distante do público que pretendemos trabalhar, principalmente por conta do aspecto financeiro. Por isso, viabilizarmos uma alternativa que olhe também para a questão social vai ser transformador”, afirma Melissa Polippo, de 18 anos, integrante do Feira da Lomba. Thainá Eduarda de Souza, de 18 anos, também valorizou a possibilidade de fazer o Ártemis Workplace virar realidade. “Estávamos com uma expectativa bem grande de sermos selecionados e agora o desafio é colocar tudo isso em prática. Temos certeza que podemos tornar as mães solo menos invisíveis nos locais onde vivemos”, afirma.

Apresentação no Tecnopuc
Apresentação no Tecnopuc - Foto: Duxtec/Divulgação


Suporte para a criação de negócios

Em sua segunda edição, o DUXtec é realizado pela Fundação Gerações em conjunto com o Farol Hub Social do Tecnopuc e tem como missão preparar e dar suporte a jovens para a criação de negócios comprometidos em melhorar as comunidades em que vivem, gerando também lucro e renda. Os projetos desenvolvidos têm como base os 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da Organização das Nações Unidas (ONU), além de ter suas temáticas ligadas à união de tecnologias com os nichos juventude, mulheres e negócios locais.

O programa atende jovens de Porto Alegre, Pelotas e Santa Maria, incluindo os Centros da Juventude do POD, que, até o momento, participaram de encontros presenciais e online de formações voltadas para ampliar os seus conhecimentos sobre demandas sociais, empreendedorismo, liderança e elaboração de propostas de negócios.

A fase final do programa, que tem como objetivo transformar os projetos selecionados em realidade, iniciou em outubro e se estende até o final de 2022.

POD